terça-feira, 17 de agosto de 2010

Fogo! Fogo!

Interrompemos nosso relato do Festival Pano para uma triste notícia de última hora:
Fui ao aeroporto por volta das 17 horas buscar o meu professor Mauro Almeida, chegando de Cruzeiro do Sul num voo já totalmente atrasado devido à falta de condições de pouso: muita fumaça das queimadas. Na volta, paramos para observar o drama que se desenrolava no campus da Universidade Federal do Acre: fogo, a mata ali perto da UTAL estava pegando fogo. Tirei fotos com a máquina do Mauro, mas minha conexão está péssima e não consigo carregar as imagens...

Ah, gente, um horror ver as árvores serem devoradas pelas chamas. Sinistro. E lamentável. Um retrato da nossa situação atual: seca, fumaça e a floresta queimando. Estamos todos, direta e indiretamente, colocando fogo e criando o nosso próprio inferno.

Onde tudo isso vai parar? Quando vamos parar? Hoje vi carros andando com um pano preto em sinal de luto pela morte de um parlamentar. Pensei em algo similar em protesto pela morte das nossas árvores, palmeiras, animais e oxigênio.

2 comentários:

Gleice de Rezende disse...

Pois é, Mariana. Junto com o fogo provocado pela vizinhança ( RO, MT, AM e Bolívia) ainte temos que aguentar as queimadas locais. Não sei como esses boletins, como os do INPE, dizem que o Acre queimou menos este ano que no mesmo período do ano passado. Será que perdi meu senso de avaliação? por onde olho só vejo áreas queimadas e muita fumaçada. Agora a noite, indo pra Ufac, quase desisti de chegar até lá, porque estava me sufocando no trecho entre o Parque do Tucumã sentido rotatória, sentido Ufac.

O ar estava irrespirável e muito denso. Naquele momento achei que seria uma informação muito boa, saber a comparação entre o nível de poluição de Rio Branco e Cubatão, ou São Paulo num dia de clima sêco.

Outra coisa: me intriga a questão da sustentabilidade do governo florestano. Afinal, estamos pegando fogo, as matas ciliares são sistematicamente desmatadas, falta água para abastercer a capital e o rio Acre está agonizante! Isso, pra não falar do resto. Como alguém disse certo dia, O lugar de onde falam não é perecido com o lugar que eu vivo.A ideia vendida é muito mais bonita do que a real, na grande.

Abraços/saudaditú professora.
Gosto do seu blog.

Silvana disse...

Oh ! mana,,,,,e eu que vim se SP pra fugir da poluição !! Que triste, não tinha visto isso aqui, e preferia não ver, pois eu acreditava nessa tal de Florestania! Foi um dos bons motivos que me trouxeram aqui e me cativaram em ficar. Agora.....to até repensando essa idéia. Gosto um tanto do seu BLOG, das fotos, e do texto, sempre fino, é a sua cara. bjinho, Silvana Camargo