sexta-feira, 12 de março de 2010

Luto

Gente, este é o Glauco Vilas Boas. O Glauco morreu esta madrugada, foi assassinado junto com seu filho, Raoni, de apenas 25 anos. Até o momento não está claro como tudo aconteceu, se foi assalto, se foi uma pessoa fora de si. Mas isso não importa muito agora, pois o Glauco se foi.

Todo mundo conhece o Glauco, todo mundo que conhece e admira o trabalho de cartunista dele, que já se divertiu lendo as aventuras do Geraldão, aquele drogadito muito louco e atrapalhado, e Dona Marta, taradíssima, um perigo na repartição! E tantos outros. Sempre lia ele na Folha de São Paulo, onde trabalhou por mais de 30 anos.

E também conheci o Glauco. Lá no Céu de Maria, igreja do Santo Daime localizada no Pico do Jaraguá, na Grande São Paulo. No Céu de Maria o Glauco era o comandante do trabalho, sempre tocando sua sanfona. Pois é, o cara era o maior sanfoneiro! Uma pessoa gentil, atenta ao ritual, zelando a casa da qual era o responsável.

Não dá pra acreditar: um cara rezador, temente a Deus, que não fazia mal a ninguém, e uma morte tão estúpida! A gente fica sem saber o que pensar. Entender, é melhor nem tentar. A gente não sabe o seguimento de cada um de nós. A gente sabe muito pouca coisa.

Que Deus, a Rainha da Floresta, Jesus Cristo, Ns. Sra. Aparecida, Mestre Irineu, Padrinho Sebastião Mota de Melo, Yemanjá e todos os seres divinos acolham este irmão que ora se apresenta.

Um comentário:

Edilene disse...

Mariana, querida, seus votos são os meus também. Cheia de perplexidade, consternação, e revolta. Para não dizer do medo, medo de não saber o rumo da nave...
bjs