sábado, 13 de junho de 2009

Livro na praça!

Como tinha sido anunciado, dia 6 passado, meu livro "Os Milton. Cem anos de história nos seringais" (2a edição), foi divulgado na Bienal da Floresta numa noite muito agradável. A lua estava lá, o frescor da noite também, um som ambiente com chorinho e música sacra (esta ao vivo!) e, claro, o público comprador. Na verdade, o público que passou por lá e tornou tudo muito gostoso e aconchegante foi mesmo de amigos e alunos da Ufac.

Expandimos o stand para os bancos da praça ali perto e ficamos conversando, ouvindo música e curtindo a noite. Foi bem gostoso. Eu, que não estava contando com muita coisa, não tinha idéia de como seria, fiquei agradavelmente surpresa e feliz. Uma pena não ter ali ninguém da família do seu Milton, merecedores também que são das homenagens da noite. Mas está nos planos um lançamento de fato, com conversa e música, num futuro breve, e aí representantes da família são pré-condição.

Pra quem não conhece, o livro é resultado da minha tese de doutorado, defendida na Unicamp em 2001 (hoje fazem 8 anos!), e fruto de uma longa pesquisa de campo no alto rio Juruá junto a família de seu Milton Gomes da Conceição e dona Mariana Feitosa do Nascimento, ambos descendentes de índios pegos em correrias e nordestinos migrantes. Isso tudo no tempo em que a borracha era o principal produto de exportação da floresta. O livro narra a trajetória de constituição desta família de seringueiros de ascendência interétnica, buscando formas textuais que dêem voz a eles e também a mim, a autora, diferenciando essas vozes e pretendendo uma multivocalidade. O livro carece até hoje de uma resenha, mas já tem uma pequena legião de fãs. Ou seja, recomendo a leitura.

Bom, quem quiser conhecer e/ou comprar o livro pode entrar em contato com a EDUFAC, no campus da UFAC mesmo. Logo o livro estará disponível na Livraria Paim também, para compra. Nas bibliotecas ele está chegando aos poucos. Já está na da UFAC e da Biblioteca da Floresta, e acredito que logo na Pública (aquela nova ali do centro) e quero também colocá-lo na Casa de Leitura da Gameleira. Enfim, aos poucos a boa nova vai se espalhando. Estou também tentando colocá-lo nas bibliotecas da universidades federais (já foi para a UFRJ, UFMG e UFPR, por exemplo).

Ah, sim, também estou vendendo livros (R$ 40 + R$ 5 de correios), inclusive pelo correio: maripantoja@yahoo.com.br. Esclareço ainda que a renda, pagas as despesas de impressão do livro (que foram majoritariamente custeadas pela Lei Estadual de Incentivo a Cultura de 2007, mas que tiveram que ser complementadas com um pequeno aporte meu), será revertida para os Kuntanawa, etnia indígena da qual "os Milton" descendem e que está em pleno processo de ressurgimento étnico e demanda territorial. Você não sabia? Pois é, nesta segunda edição do livro tem um pós-escrito contando este novo capítulo da história...

5 comentários:

Lucas Ciavatta disse...

Mariana irmã querida,
Pena não estarmos lá contigo. Mas, de fato, estávamos, como estamos sempre. Você estava linda e deu pra sentir o alto astral da noite. Um beijo saudoso, do teu irmão Lucas.

Lindomar disse...

Cara Mariana,

Seja sempre realizada em sua missão de antropóloga e escritora. Parabens pela nova edição de Os Miltom.

Bom trabalho.

Lindomar Padilha

Pedro S disse...

ÊÊÊ! Finalmente! Vê se traz umas cópias pro Recife!

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

PARABÉNS!
Ando acompanhando seu BLOG; sou apaixonada pelo Acre desde que estive aí...
Abração,
http://curiosaidentidade.blogspot.com/

Charlene Carvalho disse...

Pôxa Mariana, como tem este pós escrito, vou ter de comprar outra edição do livro. Tava me achando porque já o tinha e agora tu me vens com essa de que há novidades!
Mas é bom saber. Vou comprar!